4 de ago de 2010

Viajantes e viajados de plantão: como viajar mais e melhor



Depois de trabalhar em Cia Aérea e assistir os passageiros sofrendo com as situações que poderiam ter sido evitadas, resolvi espalhar 11 segredinhos para livrar a minha consciência de tê-los guardados por tanto tempo.


1. A melhor oferta:

A passagem com a tarifa mais baixa nem sempre é a que oferece mais garantias, é sempre bom dar uma olhada nas regrinhas da tarifa. Em casos de cancelamentos ou atrasos esses bilhetes vão lhe deixar na mão. Eu já vi muita gente boa com o dinheiro contado, perder uma conexão e ficar no aeroporto porque não tinha dinheiro para pagar passagem para o vôo seguinte. Essas situações aparecem mais em vôos de conexão entre duas companhias diferentes. Vamos supor que você tenha o seguinte itinerário: Rio – SP de TAM e SP – Miami de Delta. Se a Tam atrasar o vôo e você perder seu embarque com a Delta, se a sua passagem é a mais barata, boa sorte.

2. Crianças desacompanhadas:

Tem muito pai e mãe distraída que acha que pode embarcar o filho na cara e coragem para visitar a tia. Se a criança vai viajar sozinha e é menor de idade, ela precisa de uma autorização do juizado de menores com foto para embarcar. A autorização contém a assinatura do pai e da mãe, carimbo oficial etc. Não importa se os pais estão presentes na hora do embarque, se eles não vão entrar no avião, a criança tem que ter o documento com ela o tempo todo. A única exceção a essa regra, é se um dos pais for falecido, e assim somente a certidão de óbito é necessária. Para não colocar toda a responsabilidade na mão da criança, na hora que fizer o documento, mantenha uma copia extra, se ela perder durante a viagem, você tem uma para enviar de novo para a Cia aérea ou para a Tia. .

3. Etiqueta da bagagem:

Eu achava que era óbvio, até ver pessoas embarcando para Paris (15 dias no inverno) e colocar na etiqueta da mala o endereço da casa no Rio de Janeiro. Se você vai ficar mais de uma semana em um lugar, coloque o endereço do seu destino (do hotel mesmo) na bagagem. A mala extraviada, normalmente é entregue no dia seguinte ou 3 dias depois (em casos extremos) no endereço que você colocar.

4. Adesivos na mala:

Sabe aqueles códigos de barra que as aeromoças colam na sua bagagem na hora que você as despacha? Imagine um grande tubo seletor de malas com um leitor gigante(aqueles de supermercado mesmo) em cima. A sua mala só vai para o buraco certo se aquela etiqueta estiver visível. Portanto, não retire aquele adesivo! E outra, se você reparar algum deles de outras viagens colado antes de despachar a mala, retire, se não você vai confundir o leitor gigante!

5. Dupla nacionalidade:

Eu não sei por que, hoje em dia, ter dois passaportes é chique. Sabe aquele brasileiro que chega a Miami e já dentro do avião coloca óculos escuros? Pois é, eles também gostam de aparecer na hora de fazer o check-in. Se você tem um passaporte europeu e está saindo do Brasil, você tem que apresentar o documento brasileiro no check-in. Sabe por quê? Se você vai voltar e o seu passaporte europeu não tem visto de residência no Brasil é como se você estivesse tentando ir morar na Itália com visto de turista. As companhias aéreas são multadas e obrigadas a trazer de volta um passageiro que foi embarcado com documento errado. Por isso todo mundo fica de olho para não cometer esse erro. Eu já vi muito cidadão “chique” não embarcar porque era brasileiro e só estava levando o passaporte europeu.

6. Quer entrar no bonde andando e sentar na janelinha?

Essa parece bobeira e talvez seja a mais óbvia, mas era a reclamação que eu tinha todos os dias. Se você quer sentar na janela ou no corredor, marque seu assento ANTES de chegar ao check-in. Hoje com internet, iphone, wireless em todo canto, você só senta entre duas pessoas se estiver carente. Mas, (agora vem o conselho de insider) se você não teve tempo de marcar porque estava viajando e a internet do hotel era um absurdo, chegue NA hora que o check-in abrir. Para vôo nacional abre 2 horas antes. Vôo internacional 3 horas. Sempre sobram umas janelas e corredores, isso tem que ser feito porque sempre tem algum jogador de basquete embarcando, famílias com crianças que não podem sentar separadas ou alguém acima do peso que precisa de mais espaço. E torça pela boa vontade de quem lhe atender.

7. Saída de emergência:

Se não tem janela ou corredor, pergunte se a saída de emergência já foi ocupada. Quem senta nesses assentos não pode ter dificuldade de andar, não pode ser obeso, não pode ser criança, tem que falar a língua da companhia aérea. Com tantas restrições, esses assentos só podem ser liberados no balcão. Cabe ao bom senso de quem faz o check-in “doar” esses assentos para alguma pessoa relativamente jovem e em boa forma. Lembre-se somente de que apesar de sobrar espaço na perna, a cadeira normalmente não reclina. Mas é melhor do que sentar entre duas pessoas!


8. Ganhe mais um dia nas suas férias:

Caso você esteja embarcando em um vôo internacional e não está com pressa de embarcar naquele dia, pergunte se o vôo está lotado. Hoje em dia muitas empresas, para evitar a “alegria” do overbooking, começam a negociar com passageiros a trocarem a passagem para o dia seguinte na hora que o check-in abre. Normalmente fica incluso, táxi, estadia em hotel 3-4 estrelas e um voucher para cobrir despesas com refeições. Na minha experiência, nós já sabíamos quando o vôo estava lotado, e por isso eu já começava a procurar viajantes solitários, estudantes e casais se despedindo, normalmente é o perfil que mais aceita esse tipo de oferta.

9. Malas pesadas:

Excesso de bagagem é lucro para as companhias aéreas. Algumas dão até incentivo para funcionários que acham aquele quilinho a mais e cobram dos passageiros. Por isso é sempre bom pesar a mala antes de levar ao aeroporto. Não tem situação mais constrangedora, que abrir a mala no meio da fila do check-in para remanejar peso. Se você estiver somente com uma mala e ela está acima do peso, nem pense em pagar o excesso, vá ate a primeira lojinha-boutique que vende aquelas bolsas que dobram e retire o excesso. Eu garanto que o preço da bolsa vai ser mais atraente que a taxa de excesso de bagagem.

10. Atraso no embarque:

Por uma questão de segurança, se você não aparece para embarcar, algumas empresas optam por retirar a sua mala do avião. Como essa decisão tem que ser tomada 30 minutos antes das portas fecharem, sem que o vôo atrase, não se surpreenda se você chegar atrasado na fila do embarque e a sua mala não aparecer na esteira depois do vôo. Por isso, na próxima vez que você estiver no duty free comprando chiclete e a aeromoça estiver chamando seu nome, corra.

11. Banheiro de avião:

Banheiros em meios de transporte foram feitos para casos de emergência ou crianças descontroladas. Se você pode ir antes e evitar comidas pesadas, porque passar pelo castigo? Ou sacrificar as pobres almas sentadas ao lado que não tiveram tempo de escolher o assento? E outra bata na porta sempre! Ainda existem pessoas que não sabem trancar a porta.

5 comentários:

  1. joao guilherme guerra04 agosto, 2010 17:41

    Gabi, Sensacional. Todos nós que trabalhamos em Cias aéreas sabemos o qunto essas dicas podem deixar até o mis experiente viajante boquiaberto.

    Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Joao! Valeu pelo feedback! Espero que a TAM esteja te tratando bem! Abs!

    ResponderExcluir
  3. Gabi adorei as dicas!!!!E parabéns pelo blog- vc tem um texto muito bom e divertido!!
    um bjaaaaao!!
    saudades!!!

    ResponderExcluir
  4. Como vai você, moça ? Faz muuuuuuito tempo que a gente não se fala, heim ! Muito bom seu blog. Esse post em particular é bem didático. Eu mesmo já peguei dois códigos de barra na mesma mala. Sorte que a leitora não se confundiu... rsrsr...
    Um beijo
    Eugênio

    ResponderExcluir
  5. Adorei, Xenoca! Sabe que, voltando da viagem que fiz em junho à França, tive excesso de bagagem com a TAP e não tive nem a opção de pagar taxa nem a de comprar uma bagagem de mão extra (era de madrugada e nada estava aberto). Mas primeiro despachei uma mala cheia de roupas de frio da minha irmã, que estava com 10kg abaixo do limite. Depois, quando fui despachar a mais pesada, deu excesso e não pude recuperar a mala mais leve pra redistribuir. Resultado: fiquei com 2 mochilões lotados e mais uma bolsa grande de mão, foi bizarro. A minha dica é comprar aqueles dispositivos que pesam a sua mala que vendem em loja de malas. Aquilo teria me salvado desse mico. Mas, né, perrengue passado, lição aprendida.

    ResponderExcluir